sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Nenhum De Nós se apresenta no Showlivre e fala com o Galera do Rock







A banda Nenhum de Nós se apresentou na última Quarta Feira (31) no estúdio Showlivre com apresentação de Clemente Nascimento. 
O grupo tocou músicas de seu novo DVD, intitulado "Contos Acústicos de Água e Fogo", com versões do último CD "Contos de Água e Fogo" lançado em 2011. 
No DVD dos gaúchos têm a inédita "Aquela Estação" com algumas regravações de canções já conhecidas, como "Julho de 83" e "Paz e Amor".

No showlivre, eles tocaram a versão própria da música "Flores em Você" do Ira. Além disso, lembraram aos fãs que nesta sexta feira (02) vão lançar o novo trabalho no Cine Jóia, em São Paulo, com a participação de Edgard Scandurra (Ex-Ira).

Informações http://cinejoia.tv/ingressos



Assista a apresentação do Nenhum abaixo




Após o show, tive a oportunidade de falar com o vocalista Thedy Corrêa, como vocês podem acompanhar abaixo.




O ultimo CD do Nenhum de nos ("Contos de Água e Fogo"), qual a principal influencia que vocês buscaram nele?
Tem uma banda que a gente escuta muito e que nos influenciou também em trabalhos anteriores é o Mumford & Sons, eles tem um som trabalhado no folk rock, algo que a gente se propõe a fazer também.


Tem alguma composição favorita nesse trabalho?
Difícil... Mas a música "Tu vício" é a que eu mais gosto.




Vocês têm essa preocupação de passar mensagens em todas as músicas ou tentam levar mais um conceito em cada CD?
Olha, eu gosto de escrever algo que ajude as pessoas. 
Acho a música um instrumento muito importante para a vida delas, gosto disso, para que eles possam encontrar um equilíbrio. Uma espécie de auto ajuda. 

Não temos essa pretensão de chegar e detalhar, 'olha, agora no próximo álbum vamos fazer algo sobre tal ideia' deixamos mais para o fluir do momento, até porque a nossa vida é assim.


Falando nestes trabalhos anteriores, o Nenhum é uma banda que tem uma trajetória de respeito no cenário musical. Me diz sobre a maior dificuldade que vocês já passaram por todo este tempo?
Dentre as várias dificuldades que a musica nos dá. Posso falar de 1995, porque havia algumas indefinições na banda e nisso estávamos nos sentindo muito inseguros, aquele ano foi difícil.


E depois disso, qual a principal lição que tiveram?
Olha, a principal lição é que devemos acreditar no fã. Naquele que tem interesse na trajetória da banda e não só por ela ser conhecida.


Como enxerga o cenário musical e a nova geração de bandas?
Eu acho que tem muita gente boa sendo reconhecida, mas também tem uma tanto de pessoas que fazem um som legal e não conseguem um lugar... agora tem um pessoal novo que parecem que não entendem que a música é um caminho muito difícil de ser seguido, tocam num barzinho ali, têm seis meses de grupo e já acham que são rockstars, lançam CD.
As coisas não são assim é um passo de cada vez, e este caminho requer muito equilíbrio e cabeça erguida, mas quem sou eu pra falar né.


O pessoal do Nenhum de nós são bem ligados e participativos com projetos sociais?
Nós ajudamos, através de doações, o pessoal do Projeto Alegria de Viver, em Curitiba. Eles têm o envolvimento com crianças e adolescentes portadores do HIV.


Você também é muito ativo no twitter com as questões políticas. O que acha dos movimentos sociais que ganharam força no Brasil nos últimos meses?

No começo o povo estava lutando, justamente pela mesma causa, apesar dos mais radicais estarem infiltrados, mas é o direito da população. Depois, a grande mídia tirou o foco e os protestos foram inclinados para um só lado. Veja a Dilma que estava com a popularidade normal e depois desses movimentos ela decaiu de forma assustadora, e deixo claro que não sou petista.
Mas o que era para ser algo apartidário, virou contra um só lado, e isto foi um fator que as principais mídias fizeram e manipularam a sociedade.


Certo. Para terminar agora. Sobre a população, agora discutindo mais a política e se envolvendo nesses assuntos, acha que isso irá influenciar o brasileiro numa postura diferente ao ouvir uma música?

Olha. A partir do momento que a última música do Latino foi bem aceita, acredito que ficará na mesma.


Thedy, muito obrigado pela conversa. Foi um prazer falar contigo!
Eu que agradeço, Rafael. Prazer em conhecê-lo

2 comentários:

  1. Ai Brother você mandou muito bem.
    Parabéns pela matéria.

    ResponderExcluir
  2. Nenhum foi muito beem no show livre!

    ResponderExcluir